Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

Bluepharma investe 8 M€ na ampliação de fábrica em Coimbra

    A empresa farmacêutica Bluepharma anunciou hoje que vai investir oito milhões de euros na ampliação da fábrica de São Martinho do Bispo, Coimbra, e na criação de um novo centro de investigação e desenvolvimento de medicamentos.
    "Temos necessidade de ampliar o projecto e aumentar a capacidades destas duas áreas: produção de medicamentos genéricos e investigação e desenvolvimento de medicamentos", disse à agência Lusa o director-geral da empresa, Paulo Barradas.

    O responsável adiantou à Lusa que a farmacêutica celebrou um contrato "muito importante" para os próximos 10 anos, a vigorar até 2017, para "produção e investigação e desenvolvimento de medicamentos" com uma multinacional, que garante uma facturação minima de três milhões de euros anuais.

    Com o investimento na ampliação da fábrica e na criação de um novo centro de controlo de qualidade e investigação, a Bluepharma, que em 2007 produziu 10 milhões de unidades de medicamentos, passa a ter capacidade para produzir 30 milhões.

    Dos oito milhões a investir este ano, metade destina-se à reconversão de um edifício de 1.200 metros quadrados exclusivamente dedicado ao controlo de qualidade,desenvolvimento e investigação de medicamentos.

O investimento vai permitir duplicar, até final de 2009, o número de postos de trabalho no controlo de qualidade e investigação e desenvolvimento de medicamentos, que passará de 40 para 80 pessoas.

    Segundo uma nota da empresa, "no final de 2007, a Bluepharma facturou para o estrangeiro 67 por cento de todos os medicamentos fabricados, assumindo-se como a empresa portuguesa da Indústria Farmacêutica com maior volume de produção exportada, em termos relativos".

    Trata-se de uma empresa de capitais exclusivamente portugueses, com sede em Coimbra, que iniciou a actividade em Fevereiro de 2001 e completa quinta-feira sete anos, após um grupo de profissionais ligados ao sector ter adquirido a unidade à multinacional alemã Bayer.

    A farmacêutica nacional pretende, segundo Paulo Barradas, "integrar, em 2011, o grupo das 500 maiores empresas nacionais, altura em que esperamos quadruplicar os nossos resultados, para os 40 milhões de euros".

    "O mais difícil está feito. Passámos a fase da sobrevivência e estamos a cumprir o caminho com sucesso", sublinhou, destacando os projectos dinamizados "para assegurar a continuidade da empresa quando deixámos de produzir para a Bayer, ao fim de três anos".

    A Bluepharma - Indústria Farmacêutica SA fechou as contas de 2007 com um volume de negócios superior a dez milhões de euros, o que representa um crescimento de 30 por cento em relação ao exercício de 2006.

    Para 2008, a administração prevê que os resultados subam 50 por cento, para os 15 milhões de euros.


 

Fonte: Lusa

tags:
publicado por esqf12a às 12:51
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Co-incineração: Coimbra intima Ministério do Ambiente

    A Câmara de Coimbra decidiu hoje intimar judicialmente o Ministério do Ambiente para declarar se há licenciamento para a queima de resíduos industriais perigosos que está a ser feita desde quinta-feira na cimenteira de Souselas.

    Carlos Encarnação, presidente da autarquia, revelou que já foi dada ordem ao advogado para que faça entrar nos próximos dias as intimação no Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra.

O autarca diz que apenas teve conhecimento do início do processo através de uma comunicação que a cimenteira Cimpor fez na tarde de sexta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a revelar que «iniciou o processo de valorização dos resíduos industriais perigosos (RIP)», «depois de verificadas todas as condições necessárias ao seu licenciamento».

    Carlos Encarnação recordou que uma providência cautelar interposta em Outubro de 2007 no Tribunal Administrativo, para travar a co-incineração, foi recusada, por não se justificar, com o argumento de ainda não haver licenciamento.


Fonte: Diário Digital
tags:
publicado por esqf12a às 12:46
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

Energia na Praça da República

A Praça da República acolhe até domingo, 17, o Energybus. “Sensibilização e informação para a eficiência energética e energias renováveis” são os principais objectivos do projecto da EDP

Segundo o monitor do Energybus, Gil Pereira, existem “vários painéis e equipamentos expostos demonstrativos” que pretendem “sensibilizar para um melhor e mais racional uso da electricidade”.

O projecto da EDP, organizado pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa, visa ainda dar “grande ênfase aos novos mecanismos de energias renováveis, para utilização em habitação”, continua o monitor. “É um projecto dirigido para qualquer cidadão”, acrescenta.

Gil Pereira estima que à volta de 80 pessoas visitaram o Energybus hoje. O autocarro das energias renováveis tem viajado por todo o país desde Outubro do ano passado, percorrendo várias capitais de distrito e funciona das 10 às 19 horas.


Fonte: acabra

tags:
publicado por esqf12a às 15:22
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2008

Jardim Bíblico na Sé Velha

A Sé Velha de Coimbra vai cultivar, em colaboração com a Universidade, um pequeno jardim bíblico composto por espécies que aparecem referenciadas nos textos da Bíblia. O jardim vai ter cerca de 20 plantas e é uma forma de “valorizar” a igreja
 
Foto: Gonçalo Ribeiro

A amostra de plantas, que se pretende “pequena e emblemática” segundo o coordenador Jorge Paiva, vai estar disponível no jardim do pátio da Sé durante todo o ano. Algumas espécies sasonais, como o trigo, vão também ser cultivadas em vaso.

Uma oliveira milenar proveniente da serra do Sicó, Ansião, já se encontra no exterior da igreja. As restantes espécies vão ser fornecidas pelo Jardim Botânico, de acordo com um protocolo celebrado com a Sé Velha.

Em declarações à agência lusa, Jorge Paiva afirma que esta é uma forma de “valorizar a Sé Velha, eclesiasticamente e historicamente”.

O pároco João Evangelista partilha da opinião do botânico e realça que a iniciativa, além de valorizar o espaço em termos turísticos e culturais, “é um meio para a promoção de uma evangelização adequada para os turistas que anualmente visitam o templo”, cerca de 70 mil.

A apresentação do jardim à cidade está marcada para dia 24 de Fevereiro.


 

Fonte: acabra

tags:
publicado por esqf12a às 13:04
link do post | comentar | favorito

IC3 obriga a construção de pontes e túneis em Coimbra

Coimbra pode ter de construir três pontes e três túneis para permitir a passagem do novo lanço do Itinerário Complementar Número Três (IC3) pela parte sul do concelho. A empresa Estradas de Portugal está a avaliar o projecto, que ainda não é definitivo
 
Foto: Guilherme Prado

O IC3 vai ligar Tomar a Coimbra e em cima da mesa estão duas propostas para a construção do traçado. Uma das propostas e, de acordo com o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) a mais favorável, propõe a construção de três túneis e três pontes.

Os túneis vão ter uma extensão de quatro quilómetros e passam entre a freguesia de Ceira e a circular externa de Coimbra. As novas pontes vão situar-se sob os rios Dueça, Ceira e Mondego.

Quanto ao traçado do IC3 que o EIA considera menos favorável, este prevê a construção de vários viadutos e atravessa também os três rios, só que mais a montante.

IC3 pronto em 2014
O IC3, designado no Plano Rodoviário Nacional 2000 por "Coimbra – Setúbal", vai oferecer, entre Coimbra e Tomar, duas vias em cada sentido.

O projecto de construção da nova estrada deverá estar pronto em 2009 e a obra iniciada nesse ano e concluída em 2014.

Relativamente ao custo do empreedimento, a Estradas de Portugal prevê que o orçamento global possa rondar os 570 milhões de euros.

Carlos Encarnação: “ainda não há uma decisão definitiva”
Contactado sobre este assunto, o Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Carlos Encarnação, remeteu qualquer responsabilidade sobre as informações para a empresa Estradas de Portugal (responsável pela construção do traçado), reforçando a ideia de que o projecto ainda não é definitivo.

Fonte: acabra

tags:
publicado por esqf12a às 12:58
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2008

Obras de referência

    Na passada semana o presidente da Câmara de Coimbra considerou o projecto iParque essencial ao seu mandato. É de ficar preocupado. Por diversas razões.
    Primeiro que tudo porque se trata dum projecto da maior importância para Coimbra e o que o presidente Carlos Encarnação tem feito é destruir ou dificultar a realização de projectos fundamentais para a cidade e para o concelho. Veja-se o que aconteceu com o Projecto Estações com Vida ou o que tem acontecido com o Pólis, com o teatro da Cerca de São Bernardo, com o Convento de são Francisco, etc.
    Por outro lado é ainda motivo de preocupação porque o Coimbra iParque se mantém como território de confronto e de disputa entre o presidente e o actual vereador e ex-vice-presidente Eng.º Pina Prata e, como se sabe, projectos apregoados pelos dois é sinal de desastre. Veja-se o que aconteceu com o grande projecto de Cobertura da Baixa que acabou de morte ridícula. Depois, ainda, porque quando o presidente Carlos Encarnação anuncia projectos e obras de forma esdrúxula o resultado acaba por ser uma solução anã e sem mérito. É o caso do Memorial a Miguel Torga de que fez uma enorme encenação político mediático e que afinal ninguém vê nem ninguém conhece.
    Mas ainda mais gritante é o caso do famoso Estádio Sérgio Conceição, em Taveiro. Quanto às razões para o nome o dr. Carlos Encarnação as saberá justificar e quanto às verdadeiras razões para a construção vamos agora nós percebendo, a pouco e pouco, à medida que as comadres se vão zangando.
    O dr. Carlos Encarnação chegou à Câmara em 2002 fazendo fortes críticas à renovação do Estádio Municipal para o Euro 2004, mas não teve coragem para evitar a obra como poderia perfeitamente ter feito. Em contrapartida não só fez três coloridas cerimónias de inauguração, que custaram milhares de euros, como decidiu construir ainda um outro estádio.
    Com o argumento de que a Académica não podia fazer alguns jogos fora de Coimbra e negando-se a contribuir para a modernização do Estádio Universitário, um investimento em parceria com a Universidade, decide construir um novo estádio em Taveiro.
    Faz um protocolo com os donos duns terrenos localizados em área florestal e, sem qualquer estudo ou projecto, avança na construção com a Câmara a assumir a totalidade dos custos, cujo valor nunca se conheceu verdadeiramente mas que teriam sido mais de 800 mil contos.
    Claro que este dito estádio, inaugurado com grande festa e com a presença do ministro Marques Mendes - os mesmos que faziam fortes acusações à realização do Euro 2004 e aos custos com os estádios -, não tinha acessos nem estacionamento adequado nem capacidade para acolher os espectadores pelo que teve instaladas, durante meses, bancadas amovíveis cujo aluguer terá custado mais uns milhares de contos, tudo à custa da Câmara.
    Mas esta obra, que seria interessante avaliar devidamente e que foi considerada pelo dr. Carlos Encarnação como uma obra exemplar, continua, passados mais de cinco anos, em área florestal e sem enquadramento urbanístico.
    Aliás, tivemos agora conhecimento de que há um litígio entre os donos dos terrenos e o arquitecto que tem trabalhado no plano de pormenor. Há acusações de violação dum negócio que terá sido inicialmente feito, havendo vendas e revendas dos terrenos envolventes do estádio, há luz dum plano de pormenor que não existe e que terá levado a que os terrenos que valeriam, segundo palavras dum dos litigantes, apenas alguns milhares de euros a valer agora três milhões e quinhentos mil euros, pelos menos.
    São mais valias particulares criadas por uma das obras de referência do dr. Carlos Encarnação, feita exclusivamente com dinheiros municipais e em que, por mera coincidência, está envolvido um membro da empresa contratada pela Câmara de Coimbra para rever o PDM.

João Silva, Militante do PS

Fonte: JN
tags:
publicado por esqf12a às 15:20
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008

Nova orientação do projecto

Em relação ao que já tínhamos referido anteriormente, decidimos aceitar as sugestões que nos tinham sido feitas no "CCC on the road " em Coimbra.
Das quatro componentes que tínhamos diagnosticados (Ambiental, Cultural, Urbanística e Social), optamos por escolher duas delas: a Ambiental e a Urbanística , de forma a não produzir um trabalho meramente superficial, para cada componente.
publicado por esqf12a às 12:55
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.posts recentes

. Proposta – Construção de ...

. Nova Proposta - Introduçã...

. Nova Proposta - Recuperaç...

. Propostas para a cidade

. Resultados do Inquéritos

. Apresentação na escola (M...

. Previsão de trabalho do 3...

. Fotografias - Apresentaçã...

. X Semana Cultural da Univ...

. Bluepharma investe 8 M€ n...

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags