Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2008

ECODUNA -“Colocar Coimbra no circuito cultural”

Dentro de ano e meio, nascerá num terreno junto à Avenida Elísio de Moura um equipamento que pretende colocar a cidade “no circuito nacional” da cultura.

A actual envolvente descaracterizada na rua Quinta das Barreiras dará lugar, em 2009, a um edifício de arquitectura contemporânea e emblemática realizado pelo arquitecto Francesco Marconi. Com uma cave e três pisos superiores, o edifício acolherá espaços destinados a exposições e ateliês, bem como um bar telúrico, que permita o acolhimento de grupos de discussão. No fundo, e como explicou Paulo Rosa na sessão do executivo, o novo equipamento – que ainda não tem nome escolhido – permitirá a fruição das várias actividades culturais pelos frequentadores do bar. O espaço de restauração, com uma esplanada envidraçada, disporá ainda de uma sala num piso superior para a realização de tertúlias. Para este responsável da empresa ECOduna, “Coimbra sempre foi uma terra de intelectuais”. Como tal, a abertura do edifício a outros públicos foi um dos objectivos presente na iniciativa dos actuais responsáveis do projecto, Galeria Sete.
O projecto, que deu entrada na autarquia em 2004, foi alvo de diversas reuniões entre a câmara e a empresa responsável, de forma a resolver alguns dos problemas detectados no projecto inicial do projectista italiano. Os três logradouros externos, que vão servir para a drenagem das águas pluviais existentes no terreno, o número de lugares de estacionamento e o pé direito de 4,50 metros da cave do edifício foram questões levantadas e que, durante a reunião do executivo da passada segunda-feira, foram ultrapassadas. Ao nível do estacionamento previsto, e que apenas previa a construção de 22 lugares no topo norte do edifício, foi encontrada uma solução e, no terreno adjacente que é propriedade da autarquia, deverão surgir mais uma dezena de lugares.
A iniciativa mereceu mesmo rasgados elogios de todas as bancadas do executivo. O presidente da câmara, Carlos Encarnação, referiu mesmo que “este equipamento é muito importante para a finalidade a que se destina”. Do lado socialista, Luís Vilar salientou que “é sempre bom encontrar privados que apostam em algo em que o sector público deveria investir mais. Coimbra precisa de mais coisas destas”.

 

Fonte: Diário de Coimbra

publicado por esqf12a às 15:12
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2008

Exposição de desenho e pintura de Graça Morais

  A Galeria de Exposições Temporárias do Edifício Chiado acolhe a exposição de desenho e pintura de Graça Morais intitulada «In Sofrimento». 
  Graça Morais, nome incontornável da pintura contemporânea portuguesa, nasceu em 1948 em Vieiro (Trás-os-Montes) e licenciou-se em Pintura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, em 1971.

  A exposição está exposta até ao dia 3 de Fevereiro de 2008 e com o seguinte horário: 3ª a 6ª: 10h às 18h; Sáb. Dom. e Fer: 10-13 e 14-18h. O edifício Chiado situa-se  na Rua Ferreira Borges.

tags:
publicado por esqf12a às 15:12
link do post | comentar | favorito

Visita à Baixa de Coimbra

No final do primeiro período, fomos à Baixa da cidade verificar as condições urbanísticas daquela zona de Coimbra. Constatámos que apesar do esforço feito pela Câmara e pelos proprietários dos edifícios para a sua renovação ainda há muito trabalho pela frente. Mas também existem bons exemplos que nos dão esperança de que a situação vai melhorar.
Carregar nas fotos para vizualizar o album inteiro.
tags:
publicado por esqf12a às 13:12
link do post | comentar | favorito

"CCC on the road"

No dia 23 de Janeiro, fomos à Escola Secundária Infanta D. Maria apresentar o nosso projecto. Tivemos o primeiro contacto com a organização do concurso e com os nosso colegas de trabalho. 
Inicialmente encontrávamo-nos nervosos, mas após o começo das apresentações ficámos mais à vontade devido ao bom ambiente que se sentia na sala.
Apresentámos o nosso projecto com o objectivo de mostrar, da melhor maneirra possível, o nosso ponto de vista sobre a cidade. A apresentação correu bem e saímos satisfeitos com o nosso desempenho.
Agora, ao longo do projecto, vamos seguir as sugestões que nos foram dadas pelos elementos do júri presente.
publicado por esqf12a às 12:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008

Uma boa notícia para o ambiente de Coimbra

Coimbra finalmente expandiu a sua rede de troleicarros, o que vai beneficiar o ambiente da cidade, e tornar melhores as acessibilidades.  É um bom exemplo para todas as cidades do país e esperamos que a rede contnue a crescer.

Troleicarros ligam Solum à Universidade já a partir de Março

Se tudo correr como previsto, já a partir do próximo mês de Março será possível viajar de troleicarro entre a Solum e a Universidade de Coimbra, passando pela zona de Santo António dos Olivais. Os Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) viram aprovado pelo Instituto de Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) a candidatura para financiamento da nova linha e a primeira “tranche” do dinheiro já chegou aos cofres da Câmara Municipal de Coimbra.
O investimento global da instalação da nova linha de troleicarros é de pouco mais de 397.700 euros (mais IVA), tendo o IMTT confirmado um financiamento a 90% e já enviado para a autarquia de Coimbra os primeiros 180 mil euros que permitirão aos SMTUC avançar com a instalação do equipamento para o arranque do novo circuito. Aliás, os trabalhos para a instalação da nova linha, que ligará a zona do Estádio Cidade de Coimbra à Praça da República, através da Rua Miguel Torga, já começaram há cerca de mês e meio, confirmou ao Diário de Coimbra Manuel Oliveira.
O administrador delegado dos SMTUC mostrou-se confiante que dentro de dois meses já será possível viajar na nova carreira, sendo a situação mais complicada a chamada curva de Santa Teresa (junto ao Convento das Carmelitas), ao cimo da Rua Miguel Torga para a Avenida Dias da Silva, que terá de ser sujeita a uma intervenção para permitir a circulação dos troleicarros, explicou. «Nada que atrase o processo», confirmou Manuel Oliveira, adiantando que pela primeira vez haverá uma linha que ligará a Solum à Universidade, passando pelos Olivais.
Para já, será disponibilizado apenas um troleicarro para fazer o circuito, mas o responsável acredita que a situação poderá mudar «se a procura aumentar». Aliás, Manuel Oliveira confirma que as zonas por onde passa a nova linha são das que têm maior procura na cidade, o que significa que poderá, no futuro, aumentar o número de viaturas ao serviço da ligação entre a Solum e a Praça da República.
O responsável adiantou que a confirmação do financiamento, por parte do IMTT, já tinha sido dada em Junho do ano passado, mas só há poucos dias é que o acordo com a autarquia, assinado por Carlos Encarnação e por António Crisóstomo Teixeira, presidente do Conselho Directivo do instituto, foi publicado em Diário da República. No documento (onde fica definido o modo de pagamento do apoio) é sublinhada a preocupação da Câmara de Coimbra em expandir o serviço de troleicarros da cidade para zonas actualmente servidas por autocarros.  

 

 Fonte: Diário de Coimbra

publicado por esqf12a às 12:23
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2008

"O Círculo de Giz Caucasiano”, de Bertolt Brecht

  O Teatrão estreou ontem o espectáculo “O Círculo de Giz Caucasiano”, de Bertolt Brecht, com encenação de Marco António Rodrigues, numa produção em que o grupo de teatro de Coimbra procura, para lá da abordagem da obra, a possibilidade de discussão das ideias do dramaturgo na actualidade. A peça estará em cena no Museu dos Transportes de Coimbra até 27 de Janeiro próximo.
    Brecht escreveu “O Círculo de Giz Caucasiano” entre 1943/45, no final da Segunda Guerra Mundial, durante o seu exílio nos EUA. Na obra, o dramaturgo coloca, em forma de prólogo, uma discussão entre dois grupos de russos, em torno dos direitos sobre uma propriedade a que voltam após o afastamento das forças nazis. A questão, posteriormente desenvolvida na acção principal da peça, centra-se em saber sobre que princípio deve o caso ser estabelecido?Para isso, Brecht constrói uma fábula, aquela que a peça apresenta ao público e que o coloca perante todos os mais importantes dilemas a que a humanidade tenta, há séculos, dar resposta.
   Sobre a encenação, escreve Marco António Rodrigues, o encenador brasileiro que já trabalhou com o grupo de teatro de Coimbra: “O Círculo de Giz Caucasiano é uma peça escrita em 1943/1945, quando Brecht, na América do Norte, via cheio de esperanças, os primeiros sinais de Hitler a vergar os joelhos. Esta é, portanto, no nosso entender, uma peça solar, uma ‘comédia’ luminosa (...)”.
   E, de facto, esta é uma peça dentro da peça “uma velha lenda chinesa representada com bonecos, máscaras e músicas” logo alerta o narrador ao final do prólogo. “Enfim, uma brincadeira de actores, mímicos, bufos, saltimbancos, acrobatas, a representar bêbados, mendigos, salteadores, prostitutas, falhados, lavradores, lumpens e afins, os ventados da história, a imaginar, a magicar, qual poderia ser o melhor cultivo da terra que está exausta e espera à sua frente, daí para adiante...”, diz ainda o encenador.
   “O Círculo de Giz Caucasiano”, de Bertolt Brecht, tem versão cénica d’O Teatrão, encenação e dispositivo cénico de Marco Antonio Rodrigues, gestualidade de Joana Mattei, composição e direcção musical de Filipe da Costa, desenho de luz de Jonathan Azevedo, figurinos de Helena Guerreiro, adereços e montagem cenário de José Baltazar, caracterização de Aurora, fotografia de Paulo Abrantes, grafismo de Sofia Frazão, costura de Fernanda Tomás, operação de luz e som de Jonathan Azevedo e Fréderic Pires, direcção de produção de Isabel Craveiro, produção executiva de Cláudia Carvalho, Margarida Sousa e Ricardo Brito, intervenção de Adriana Campos, Inês Mourão e Leonor Barata e direcção técnica de Jonathan Azevedo.
   Em palco, estarão Adriana Campos, Cláudia Carvalho, Filipe da Costa, Filipe de Góis, Inês Mourão, Isabel Craveiro, João Castro Gomes, Margarida Sousa, Mariana Nunes, Pedro Lamas, Ricardo Brito e Rosa Marques.
  “O Círculo de Giz Caucasiano” estará em cena no Museu dos Transportes de Coimbra de 13 de Dezembro a 27 de Janeiro, de quarta-feira a sábado, às 21H30, e domingo às 17H00, com uma interrupção no dia 26 de Dezembro.

   O preço dos ingressos varia entre os oito euros (público em geral), os cinco euros (estudante) e os três euros (grupos maiores de 10 espectadores). As reservas deverão ser feitas para o telefone 914 617 383 e para o mail geral@teatrao.com.

Fonte© Diario as Beiras

tags:
publicado por esqf12a às 16:06
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.posts recentes

. Proposta – Construção de ...

. Nova Proposta - Introduçã...

. Nova Proposta - Recuperaç...

. Propostas para a cidade

. Resultados do Inquéritos

. Apresentação na escola (M...

. Previsão de trabalho do 3...

. Fotografias - Apresentaçã...

. X Semana Cultural da Univ...

. Bluepharma investe 8 M€ n...

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags